Além de providenciar muitos iteráveis interessantes, a linguagem de programação Python também faz uso da iteração em muitos sítios que não apenas em ciclos.

Ciclos


Alguns exemplos de iteração sem o uso de ciclos:

A função list() cria uma lista a partir dos valores de um iterável que recebe como argumento. O argumento pode ser qualquer iterável, se for um dicionário teremos uma lista com as chaves do dicionário, se for um ficheiro teremos uma lista com as linhas do ficheiro, etc.

As List comprehensions são uma forma concisa de obter listas a partir de iteráveis.

A função sum() devolve a soma de todos os valores de um iterável, terá de ser um iterável de valores que possam ser adicionados. A função min() compara os valores de um iterável e devolve o menor deles e a função max() devolve o maior.

palavras = palavras = ['Este', 'teste', 'junta', 'palavras.']
frase = ' '.join(palavras)
print frase

Este teste junta palavras.


O método de strings join() devolve a concatenação das strings que recebe num iterável. O separador das strings é a string onde o método foi aplicado.

Estes são apenas alguns exemplos do uso de iteráveis fora dos ciclos, como 'stream' de valores que são passados para funções.


Mais posts se seguirão sobre os ciclos em Python.


Este post faz parte da série de posts sobre Ciclos e Interáveis em Python:
  1. Ciclos em Python, o básico
  2. Ciclos em Python e os Iteráveis
  3. Ciclos em Python, mais exemplos de Iteráveis
  4. Ciclos em Python, uso de Iteráveis fora dos ciclos (post actual)
  5. Ciclos em Python, problemas comuns e os índices
  6. Ciclos em Python, iterar sobre duas listas
  7. Ciclos em Python, iteração personalizada
  8. Ciclos em Python, Generators - parte 1
  9. Ciclos em Python, Generators - parte 2
  10. Ciclos em Python, Generators - parte 3
  11. Ciclos em Python, operações de baixo nível
  12. Ciclos em Python, como tornar os nossos objectos em Iteráveis
  13. Ciclos em Python, conclusão


A inspiração para este post veio daqui.